Johnny Depp é indicado ao Scream Awards 2010

Os Scream Awards, criação do produtor executivo Michael Levitt, são mais do que um prêmio para os melhores do cinema – já que também homenageiam os melhores do mundo das séries de TV e também das histórias em quadrinhos. E os temas que desfilam por este tapete vermelho cor de sangue são bastante específicos: terror, super-heróis, fantasia, ficção científica.

Johnny Depp foi indicado como Melhor Ator de Fantasia, o filme Alice no País das Maravilhas como Melhor Filme de Fantasia e também nas categorias The Ultimate Scream e Os Melhores 3D. O Mundo Imaginário do Dr.Parnassus também concorre na categoria Melhor Filme de Fantasia. Tim Burton e alguns membros do elenco de ambos os filmes também receberam indicações.

Confira a lista completa abaixo:

THE ULTIMATE SCREAM
Alice no País das Maravilhas
Avatar
Distrito 9
A Origem
Homem de Ferro 2
Kick-Ass
Lost

BEST FANTASY MOVIE (MELHOR FILME DE FANTASIA)
Alice no País das Maravilhas
O Mundo Imaginário do Dr.Parnassus
Kick-Ass
Toy Story 3
Eclipse
Onde Nascem os Monstros

BEST DIRECTOR (MELHOR DIRETOR)
Neill Blomkamp (Distrito 9)
Tim Burton (Alice no País das Maravilhas)
James Cameron (Avatar)
Roland Emmerich (2012)
Christopher Nolan (A Origem)
Martin Scorsese (A Ilha do Medo)

BEST FANTASY ACTREES (MELHOR ATRIZ DE FANTASIA)
Cate Blanchett (Robin Hood)
Lily Cole (O Mundo Imaginário do Dr.Parnassus)
Chloë Grace Moretz (Kick-Ass)
Saoirse Ronan (Um Olhar do Paraíso)
Kristen Stewart (Eclipse)
Mia Wasikowska (Alice no País das Maravilhas)

BEST FANTASY ACTOR (MELHOR ATOR DE FANTASIA)
Nicolas Cage (Kick-Ass)
Johnny Depp (Alice no País das Maravilhas)
Tom Hanks (Toy Story 3)
Aaron Johnson (Kick-Ass)
Taylor Lautner (Eclipse)
Robert Pattison (Eclipse)

BEST SUPPORTING ACTREES (MELHOR ATRIZ COADJUVANTE)
Abigail Breslin (Zumbilândia)
Jennifer Carpenter (Dexter)
Marion Cotillard (A Origem)
Anne Hathaway (Alice no País das Maravilhas)
Yunjim Kim (Lost)
Sigourney Weaver (Avatar)

BREAKOUT PERFORMANCE-FEMALE (REVELAÇÃO FEMININA)
Deborah Ann Woll (True Blood)
Gemma Artenton (Príncipe da Pérsia)
Morena Baccarin (V)
Lindsy Fonseca (Kick-Ass)
Chloë Grace Moretz (Kick-Ass)
Mia Wasikowska (Alice no País das Maravilhas)

BREAKOUT PERFORMANCE-MALE (REVELAÇÃO MASCULINA)
Sharlto Copley (Distrito 9)
Andrew Garfield (O Mundo Imaginário do Dr.Parnassus)
Tom Hardy (A Origem)
Aaron Johnson (Kick-Ass)
Xavier Samuel (Eclipse)
Kodi Smit-McPhee (The Road)

3-D TOP THREE (OS TRÊS MELHORES 3D)
Avatar
Alice no País das Maravilhas
Toy Story 3

Para votar clique AQUI.

A cerimônia de entrega dos prêmios será realizada dia 19 de outubro e será transmitida pela TV americana e inglesa. Como de costume, os Scream Awards serão exibidos no Brasil pela TNT no domingo, 31 de outubro, Halloween, a partir das 22h.

Anúncios

O Mundo Imaginário do Dr. Parnassus estreia em Salvador

Depois de ser exibido em São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ) e Porto Alegre (RS), agora é a vez de Salvador (BA) exibir o longa O Mundo Imaginário do Dr. Parnassus. O filme está em cartaz em apenas um cinema, na Saladearte Cine Vivo – Sala 1, clique aqui para mais informações.

Lembrando que em Porto Alegre (RS) ele segue em cartaz no cinema Guion Center – Sala 2.

Se estrear em sua cidade, nos avise 😉

O Mundo Imaginário do Dr. Parnassus – Review

Por Elis Lacerda

Essa é minha segunda review aqui no blog, a primeira foi sobre o filme “Alice no País das Maravilhas” que você pode ler aqui e também dar a sua opinião 😉

Mas vamos ao que interessa, “O Mundo Imaginário do Dr. Parnassus“. Posso dizer que tive uma grande sorte por poder assistir a esse filme no cinema, ele estreou em minha cidade (Porto Alegre – RS) há exatamente uma semana, dia 18/06. Até então ele havia estreado em apenas duas cidades, Rio de Janeiro e São Paulo.

O filme conta a história de um homem que tem o dom de inspirar a imaginação das pessoas, o Dr. Parnassus do título (interpretado pelo ator Christopher Plummer). Ele viaja em um teatro itinerante na companhia de seu assistente Percy (Verne Troyer), de Anton (Andrew Garfield) e de sua filha Valentina (Lily Cole) para oferecer ao público a chance de transcender a realidade e entrar em um universo sem limites, o qual pode ser alcançado ao atravessar um espelho mágico. Mas Parnassus tem uma dívida com o diabo, o Sr. Nick (Tom Waits). Há milhares de anos, ele fez uma aposta com o diabo, em troca da imortalidade. Séculos depois, ao conhecer o seu verdadeiro amor, o Dr. Parnassus faz outra aposta com o diabo, na qual ele trocaria a imortalidade pela juventude, desde que, ao atingir 16 anos, sua filha Valentina se tornasse propriedade do Sr. Nick. A jovem está prestes a completar 16 anos e o Dr. Parnassus fica desesperado para protegê-la do seu destino iminente. O Sr. Nick chega para cobrar a dívida, mas, como não pode deixar passar uma boa aposta, resolve renegociar o prêmio. Agora, o destino de Valentina será decidido por aquele que seduzir as cinco primeiras almas. É em meio a essa trama que surge Tony (Heath Ledger), encontrado pela trupe pendurado em uma ponte, à beira da morte.

Posso dizer que ver Heath Ledger em seu último filme é um tanto triste. Ele tinha um talento e carisma que poucos atores possuem, e nesse filme não é diferente, é muito bom vê-lo em cena, mesmo sabendo que este foi seu último trabalho nas telas.

O filme é muito bom, possui um enredo muito bem elaborado e cheio de fantasia, de imaginação, como o próprio título sugere. É puro Terry Gilliam do começo ao fim. E os efeitos visuais usados para mostrar o mundo imaginário por trás do espelho é lindo, mudando de acordo com a imaginação de cada persoagem. Ótima direção de arte. Além de levantar questionamentos tão presentes em nossa vida moderna.

Terry Gilliam inseriu Johnny Depp, Jude Law e Colin Farrell na história de maneira inteligente, para ocupar as cenas que Heath não pôde gravar. A primeira transformação do personagem “Tony” é quando ele entra pela primeira vez no espelho, onde Johnny Depp o interpreta. A melhor transformação do personagem em minha opinião, pois além de ter se encaixado muito bem na história, Depp foi quem mais lembrou Ledger. E fica nítido a homenagem a Heath Ledger presente nessa cena, onde Depp diz que nada é permanente nem mesmo a morte. A única parte do filme que percebe-se a falta de Ledger é no final.

“O Mundo Imaginário do Dr. Parnassus” é um espetáulo para nossos olhos e para nossa imaginação. E é claro uma homenagem sincera ao talentoso Heath Ledger, terminando com a frase:

“Um filme de Heath Ledger e amigos”

“Parnassus” estréia em Porto Alegre!

O Mundo Imaginário do Dr. Parnassus teve sua estreia em Porto Alegre nessa última sexta-feira, dia 18/06! O filme que não teve estréia nacional e foi exibido somente no Rio de Janeiro e São Paulo, teve sua estréia no Rio Grande do Sul, mas em apenas dois cinemas confirmados até agora:

Guion Center

Cinemateca – Espaço Banrisul de Cinema

O longa do diretor Terry Gilliam conta a história do Dr. Parnassus, dono de uma companhia de teatro itinerante que tem o dom de inspirar as pessoas. Com a ajuda de seu assistente Percy (Verne Troyer) e do mágico Anton (Andrew Garfield), ele oferece a chance de transcender a realidade, entrando em um universo sem limites. Este é o último filme de Heath Ledger, que faleceu em janeiro de 2008 no meio das filmagens. Isto fez com que o longa fosse reescrito, contando com a presença de atores como Johnny Depp, Jude Law e Colin Farrell, que prestam uma homenagem póstuma a Ledger.

Fonte: You Know

Crítica: O Mundo Imaginário do Dr. Parnassus

Ronaldo D`Arcadia
cinemacomrapadura.com.br

Recentemente assisti a um filme incrível de Terry Gilliam que ainda me faltava. “Brazil” é pitoresco do início ao fim. Seus cenários são grandiosos e estranhos, assim como seus personagens. Tudo parece sujo e caótico e, apesar de não trazer semelhança alguma com nosso país (a não ser a burocracia acéfala), é belo ouvir o tema de “Aquarela do Brasil”, de Ary Barroso, soar poderosa nos sonhos do personagem principal.

Este é Terry Gilliam, inusitado por natureza. O americano fundamental para o grupo inglês Monty Python. O realizador de obras que chamam atenção por sua estranheza, coragem e, na maioria dos casos, pela qualidade inegável. Ele realizou loucuras como “Medo e Delírio”, “Os Bandidos do Tempo”, “Os 12 Macacos” e “O Pescador de Ilusões”.

Em seu novo filme “O Mundo Imaginário do Dr.Parnassus”, Gilliam parece se soltar ainda mais, apostando em um visual que, mesmo digital, lembra em muita sua plástica característica. Finalizando o filme aos trancos e barrancos após a morte de um de seus atores principais – o australiano Heath Ledger -, o diretor consegue mais uma vez imprimir sua mente insana nos frames de seu longa.

A trama começa nos apresentando um grupo saltimbanco de teatro que se apresenta para um público já descrente na arte de se contar histórias. Eles convidam sua sempre pequena plateia a participar do show e conhecer um mundo de sonhos que se encontra logo ali, atravessando o espelho. O velho Parnassus (Christopher Plummer) e sua trupe, formada por sua filha Valentina (Lily Cole), o jovem Anton (Andrew Garfield), e o pequenino muito consciente Percy (Verne Troyer), um dia descobrem, por acaso, um misterioso homem pendurado pelo pescoço em baixo de uma ponte.

Após socorrerem o pobre indivíduo, percebem que o mesmo não se lembrava quem era. Ele então é batizado de Tony (Heath Ledger, Johnny Depp, Jude Law, Colin Farrell). O sujeito é de uma lábia incrível e seu passado começa a se revelar de forma gradativa, apresentando fatos que possam colocar a credibilidade do esquecido em cheque. Mas para Parnassus, Tony é de grande ajuda, já que ele o auxilia em muito na sua aposta feita com o diabo Mr. Nick (Tom Waits). O prêmio da peleja é a garota Valentina, uma “Sweet Little Sixteen”, como diria Chuck Berry. Parnassus é um velho apostador, que já foi ludibriado algumas vezes pelo caricato Mr.Nick. Mas agora, com uma disputa renovada, ele tem a chance de reaver sua pequena para sempre.

Como todo filme de Gilliam, uma trama simples ganha contornos apoteóticos devido à excentricidade de seus personagens, diálogos e cenas. Muito bem escrito e detalhado, a obra é de uma beleza imensa e traz elementos já utilizados pelo diretor em outros filmes: muita steadycam, lentes angulares, fotografia crua, cenários e elementos animados, enfim, artimanhas que fazem seu estilo ser único. Já o diferencial são os efeitos visuais inusitados que recheiam o mundo imaginário do “além do espelho” (um CG muito mais ousado do que os utilizados em “Os Irmãos Grimm”). Um mundo feminino feito de sapatos gigantes e jóias, cabeças vivas feitas de balões e pedras, escadas gigantes que são usadas como pernas de paus são exemplos do absurdo de impossibilidades típicas de um humor nonsense de primeira qualidade, apoiada por uma tecnologia usada sem restrições.

O time de atores também se destaca, principalmente Heath Ledger. O jovem ator que interpretou o cowboy gay do filme “O Segredo de Brokeback Mountain”, deu vida ao Coringa mais celebrado de todos os tempos em “Batman: O Cavaleiro das Trevas” e já trabalhou com Gilliam interpretando Jacob Grimm, mostra todo seu potencial no filme em questão. Ótimo trabalho vocal, carisma e personalidade eram seus pontos fortes. Os amigos de Ledger (Depp, Law, Farrell), que se propuseram a finalizar o filme em nome do falecido, doando o cachê para a filha do ator, também se destacam. O interessante é analisar que por vezes eles interpretam Ledger interpretando Tony, o que seria uma forma de homenagem simbólica.

Lily Cole está muito bem como a temperamental e inquieta Valentina, que novamente traz a tona o complicado tema “relacionamento com garotas jovens” (como no estranhíssimo “Contraponto”), revelando um Gilliam mais uma vez ousado. Um dos destaques do time de coadjuvantes é Tom Waits, como o canastrão e maquiavélico Mr. Nick. Em sua primeira a cena, o diabo se apresenta como uma espécie de jornalista (para ofensa dos mesmos) e, apesar de ser um grandíssimo cretino, ele sempre se sai bem.

“O Mundo Imaginário do Dr. Parnassus” na realidade é uma viagem ao criativo subconsciente de seu criador Terry Gilliam. Este não é um filme comum, assim como todos os outros filmes de Gilliam. É preciso enxergar além do óbvio para captar o humor ácido e descentralizado do diretor, ou seja, um gosto refinado para uma obra destrambelhada. Mesmo não parecendo a mistura perfeita, tudo funciona muito bem. Essa é a especialidade de Gilliam, contrariar a lógica de praticamente tudo.

‘O Mundo Imaginário do Dr. Parnassus’ estreia apenas no Rio de Janeiro e São Paulo

O Mundo Imaginário do Dr. Parnassus teve sua estreia ontem, 7 de maio, apenas em São Paulo e Rio de Janeiro. Para saber as datas de estreia no restante do Brasil, o You Know mandou um e-mail pelo site oficial da Sony Pictures e a resposta não foi muito animadora:

“Ainda não há previsão da estreia do filme em outras cidades além de RJ e SP.

Um abraço,

Equipe Sony Pictures”

Como sou de Porto Alegre (RS) fiquei bastante decepcionada 😦 . Acredito que depois de tanto tempo aguardando a estreia no Brasil, o filme deveria ter tido uma estreia nacional, mesmo que fosse em poucos cinemas. Vou ficar esperando algum outro comunicado por parte da distribuidora, se estrear na sua cidade, avise-nos 😉

Divulgado novo cartaz de ‘Dr. Parnassus’

 
O Mundo Imaginário de Dr. Parnassus, de Terry Gilliam, já teve exibições em vários países, incluindo o Brasil na Mostra Internacional de São Paulo. Mas enquanto a estreia mundial não acontece, o estúdio envia mais cartazes e fotos de divulgação. O último pôster foi revelado pelo site Filmofilia.
No Brasil, O Mundo Imaginário de Dr. Parnasssus ainda não tem previsão de estreia. Enquando isso, veja o pôster acima.
Fonte: Terra